América-MG Atlético-MG Atlético-PR Bahia Botafogo Ceará Chapecoense Corinthians Cruzeiro Flamengo Fluminense Grêmio Internacional Palmeiras Paraná Santos São Paulo Sport Vasco Vitória

11.Out 16:16

Camisa 12

Chelsea quer adotar medida educativa contra preconceito

Dono do clube pretende enviar torcedores antissemitas ao campo de concentração de Auschwitz

Marc Atkins/Getty Images

O Chelsea vai adotar nova forma de combater o preconceito nas arquibancadas. De acordo com o “The Sun”, o clube quer enviar torcedores antissemitas a Auschwitz, campo de concentração usado pelo nazismo. O responsável pela iniciativa é o próprio dono do clube, Roman Abramovich, que é judeu.

- Se você apenas banir as pessoas, você nunca vai conseguir mudar o comportamento delas. Essa política dá a eles a chance de entender o que fizeram, de fazê-los quererem mudar de comportamento - disse o presidente do clube, Bruce Bruck, à publicação.

Desta forma, qualquer torcedor que seja pego cometendo atitudes nesse sentido terá a opção de ser banido do estádio ou visitar campos de concentração nazistas como medida educativa. A ideia é que, com a visita, eles possam entender a gravidade da situação.

- No passado, o procedimento seria retirar o torcedor e bani-lo dos jogos por aproximadamente três anos. Agora dizemos: "Você fez algo errado. Você tem a opção. Podemos te banir ou você pode passar um tempo com os nossos profissionais da diversidade, entendendo o que você fez - disse Bruck.

O clube inglês tem uma rivalidade história com o Tottenham, que tem ligação com a comunidade judaica na Inglaterra. No ano passado, torcedores dos Blues entoaram músicas antissemitas durante partida contra os rivais. 

A iniciativa já foi adotada uma vez. Em abril, o Chelsea mandou uma delegação à Marcha dos Vivos, movimento em memória das vítimas do Holocausto. Dois meses depois, cerca de 150 pessoas, entre torcedores e funcionários do clube, passaram um dia em Auschwitz.
 

Assine a nossa newsletter